Previdência Pública ou Privada?

Previdência pública ou privada? Esta é uma dúvida frequente entre os clientes/amigos com quem converso sobre como guardar dinheiro para a posteridade. Pois bem, neste artigo irei explicar alguns detalhes de cada uma, e se possível ajudá-los a escolher corretamente.

A escolha do Planox

Antes de mais nada, todos precisamos ter em mente que algumas pessoas simplesmente não estão aptos a escolher o plano de previdência. Isto porque de acordo com as leis trabalhista do Brasil, todos os empregados, sob regime CLT sofrem o desconto do INSS diretamente na folha de pagamento. Para facilitar, vamos considerar que cada trabalhador tem uma “conta” no INSS, cujo número, é aquele enorme que chamamos de PIS.

Cabe ressaltar que o valor descontado é INTEGRALMENTE aplicado, sem juros é claro, nesta conta, ou seja, no seu PIS. E quando o trabalhador aposenta-se, o governo calcula o valor médio que foi aplicado durante todo o tempo de contribuição para conceder-lhe o valor que lhe será pago em sua aposentadoria. Mais adiante veremos detalhes sobre a forma de cálculo.

Bem, agora que sabemos que algumas pessoas estão obrigadas a contribuir com a previdência pública, vamos às demais opções, que no meu ponto de vista são: Previdência Pública, por opção e/ou Privada.

Previdência Pública, por opção:

Geralmente indicada a profissionais autônomos, estudantes, donas de casa que mesmo não sendo empregados sujeitos ao regime CLT, pretendem ter contribuir com o INSS e ter uma renda garantida quando parar de trabalhar.

Previdência Privada:

Indicada a qualquer cidadão que queiram guardar recursos para a aposentadoria com um excelente diferencial sobre a previdência pública. O rendimento.

Diferente da pública, em que o contribuinte simplesmente paga a vida inteira e quando aposenta-se, apenas recebe um salário médio das contribuições pagas, na Previdência Privada, todo o dinheiro aplicado é recebe rendimentos mensais sobre o montante aplicado.

Mas não por isso que você vai agora acessar o seu bankline e contratar um plano de previdência não é mesmo? Antes disso, você precisa saber qual plano escolher, para não perder dinheiro no final das contas. Em termos de planos de previdência privada, os mais conhecidos, e temidos por muitas pessoas, são o PGBL e VGBL.

PGBL – Plano Gerador de Benefício Livre

O que geralmente atrai as pessoas para este plano é o fato do contribuinte poder abatar até 12% da base de cálculo do Imposto de Renda, mas é importante lembrar que no ato do resgate deste plano, o contribuinte será tributado sobre o valor total (montante mais rendimentos), enquanto que no VGBL apenas sobre o rendimento.

Veja agora um exemplo sobre a diferença do PGBL para contribuintes que pagam imposto de renda:

pgbl

NOTA: Neste cálculo foram considerados apenas valores para comparação do PGBL.

Assim, se o contribuinte possui renda que atinja o limite mínimo para cálculo do imposto de renda, o PGBL é uma boa opção, pois além do dinheiro economizado, ainda existe o saldo aplicado no plano.

VGBL – Vida Gerador de Benefício Livre

Ideal para contribuintes cuja renda não alcança o limite mínimo para pagamento do Imposto de Renda, pois apesar deste não possuir a vantagem de abatimento da Base de Cálculo, o IRPF incide apenas sobre o rendimento e não sobre o montante como no PGBL.

Basicamente, a diferença entre PGBL e VGBL está em postergar o pagamento de parte do Imposto de Renda, o que significa melhor uso do dinheiro no tempo presente.

 

Rendimentosx

Além das diferenças entre os planos, ainda deve o contribuinte pesquisar e calcular como será o rendimento do plano escolhido. A maioria dos planos utiliza como índice de rentabilidade o IPCA. Alguns, IPCA+X%. Lembrando que o IPCA é o Índice de Preços ao Consumidor, logo, podemos resumir aqui que a maioria dos planos de previdência irá acompanhar a inflação. Assim, é muito importante um estudo cuidadoso antes de contratar um plano de previdência privada.

 

Riscosx

Muitas pessoas me perguntam sobre qual o melhor plano de previdência para aplicar o dinheiro. E minha resposta é sempre a mesma: NENHUM.

Antes de investir seu dinheiro, tenha em mente a seguinte diferença entre aplicação e plano de previdência:

Valor investido com intuito de utilização em curto, médio ou longo prazo
Valor investido com intuito de garantir renda na posteridade.

 

Não confundir longo prazo com posteridade. O primeiro refere-se a anos, décadas, etc. Já o segundo refere-se à uma garantia de renda para quando você não puder/quiser trabalhar no futuro.

Agora que já sabemos a diferença entre aplicação e planos de previdência, já está explicado porque nenhum plano é indicado para obter rendimento. Correto.

Isto acontece porque os planos são estruturados com esta finalidade e “punem” os investidores que resgatam os recursos antes da hora. Na maioria dos planos, caso você resgate o valor aplicado antes de determinada data, sofrerá um desconto enorme. Portante, se sua intenção é de obter rendimento, procure outra forma de aplicar seu dinheiro.

resgate antecipado

 

 

Recomendaçãox

Para finalizar, a minha recomendação é que todos devem ter pelo menos um montante guardado para a aposentadoria.

Para aqueles que já estão preocupados com o futuro dos filhos, alguns bancos disponibilizam planos para crianças, em que os pais podem aplicar mensalmente pensando nos recursos necessários para faculdade, intercâmbios, etc.

Como vimos, escolher um plano de previdência é uma tarefa árdua. Assim, teremos imenso prazer em ajudar qualquer pessoa que esteja interessada em mais detalhes.

Makoto Contabilidade

(11) 2361-7187

marcus@makotocontabil.com.br